Congresso ABRAMEDE 2018

O maior congresso de Medicina de Emergência do país na palma da sua mão! ABRAMEDE 2018

VI Congresso Brasileiro de Medicina de Emergência Adulto e Pediátrico – ABRAMEDE 2018

  • 96 Horas de duração
  • 278 Aulas
  • 23 Módulos
  • 2 anos de suporte
  • Certificado de conclusão
Parcele em 10x R$ 90,00 (ou R$ 900,00 à vista)
Comprar Agora Dê um passo adiante em sua carreira!
MedicineCursos

O Congresso da ABRAMEDE é considerado o maior evento de medicina de emergência da américa latina, contou com mais de 200 palestrantes, 5 salas simultâneas e foi marcado pela enriquecedora partilha de experiências, contando com a forte participação dos maiores especialistas do país e do exterior.

O evento ocorre uma vez a cada dois anos e é promovido pela ABRAMEDE – Associação Brasileira de Medicina de Emergência, única filiada a AMB sendo a sociedade que certificará todos os especialistas em medicina de emergência no Brasil.

 
 

Congresso ABRAMEDE 2018 

SINOPSE COMPLETA: 


 01 – ASMA GRAVE: O QUE FAZER PARA EVITAR IOT?
 Mara Figueiredo
 Duração: 16 minutos
 
 02 – ASMA GRAVE: RECONHECER O MOMENTO CORRETO E COMO PREPARAR A INTUBAÇÃO!
 Khalil Feitosa
 Duração: 15 minutos
 
 03 – COMO VENTILAR O PACIENTE ASMÁTICO?
 Marcelo Alcântara Holanda
 Duração: 18 minutos
 
 04 – MANEJO DA SCA COMO CAUSA DE PCR
 Francisco Rodrigues dos Santos Neto
 Duração: 21 minutos
 
 05 – ESTRATIFICANDO O RISCO PARA O MUNDO REAL
 Felipe Gallego Lima
 Duração: 17 minutos
 
 06 – HIPOTERMIA COMO TERAPÊUTICA ADJUVANTE À INTERVENÇÃO CORONÁRIA PERCUTÂNEA EM PACIENTES COM INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO -ESTUDO COOL-MI INCOR-
 Sergio Timerman
 Duração: 20 minutos
 
 07 – PHYSIOLOGY AND PATHOPHYSIOLOGY OF USING AUTO-TRANSFUSION TOURNIQUET (A-TT) FOR CPR IN CARDIAC ARREST
 Noam Gavriely
 Duração: 21 minutos
 
 08 – THE CAUSE OF DEATH IN SEVERE SHOCK
 Noam Gavriely
 Duração: 15 minutos
 
 09 – QUÃO SÚBITA É A MORTE SÚBITA CARDÍACA?
 Ronaldo Távora
 Duração: 24 minutos
 
 10 – INTERNACIONAL CONFERENCE ON EMERGENCY MEDICINE 2020
 Gonzalo M. Camargo
 Duração: 14 minutos
 
 
 01 – O QUE É ULTRASSONOGRAFIA POINT-OF-CARE
 Alejandro Cardozo Ocampo
 Duração: 10 minutos
 
 02 – WINFOCUS
 Miguel Montorfano
 Duração: 27 minutos
 
 03 – 24H NA VIDA DO EMERGENCISTA
 Daniel Pedrollo
 Duração: 24 minutos
 
 04 – DEBATE
 Duração: 11 minutos
 
 05 – AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA
 Elmo Fabiano Monteiro Pereira Júnior
 Duração: 21 minutos
 
 06 – NERVE BLOCK IN TRAUMA
 Marco Vinício Umaña Ramirez
 Duração: 20 minutos
 
 07 – ULTRASSONOGRAFIA POINT-OF-CARE NO ATENDIMENTO HOSPITALAR
 Juliano Lima Santos
 Duração: 24 minutos
 
 08 – DISCUSSÃO
 Duração: 14 minutos
 
 01 – COMO FAÇO PARA SER ESPECIALISTA EM RESGATE TÁTICO
 Júnia Sueoka
 Duração: 23 minutos
 
 02 – EMERGENCY MEDICINE IN ISRAEL
 Noam Graviely
 Duração: 17 minutos
 
 03 – SIMULADOS INTER-INSTITUCIONAIS DE INCIDENTES COM MÚLTIPLAS VÍTIMAS
 Antonio Onimaru
 Duração: 17 minutos
 
 04 – SUB-SPECIALIZING IN DISASTER MEDICINE
 Bonnie Arquilla
 Duração: 15 minutos
 
 05 – NOT YOUR EVERDAY PATIENT
 Oscar Navea Carrasco
 Duração: 17 minutos
 
 06 – WTF-U-MABS AND EMERGENGY MEDICINE
 William Mallon
 Duração: 15 minutos
 
 07 – WORKING SMARTER
 Rob Rodgers
 Duração: 21 minutos
 
 08 – DIGOXIN SHOULD DIE
 William Mallon
 Duração: 19 minutos
 
 09 – HERO
 Bonnie Arquilla
 Duração: 11 minutos
 
 DVD 3
 01 – Criança com dor abdominal aguda
 Eduardo Lima da Rocha
 Duração: 17 minutos
 
 02 – DOR ABDOMINAL: É CIRÚRGICO?
 Eduardo Lima
 Duração: 20 minutos
 
 03 – DOR ABDOMINAL: É CIRÚRGICO?
 Osvaldo B. Rebelo Neto
 Duração: 19 minutos
 
 04 – ABDOME AGUDO NA INFÂNCIA
 Rocino Marinho
 Duração: 25 minutos
 
 05 – RESSUSCITAÇÃO CARDIOPULMONAR PEDIÁTRICA
 Amélia Gorete Reis
 Duração:  43 minutos
 
 06 – CONFLITOS ÉTICOS/LEGAIS NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA
 Jefferson Piva
 Duração: 38 minutos
 
 
 01 – ATLS 10ª ED. E O IMPACTO NO ENTENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
 Daniel Souza Lima
 Duração: 28 minutos
 
 02 – CONTROLE DA DOR NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR: MITOS E VERDADES
 Francisco Rômulo Sampaio Lira
 Duração: 26 minutos
 
 03 – TECNOLOGIA, EQUIPAMENTOS E INOVAÇÃO NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR – VIA AÉREA
 João Greco
 Duração: 19 minutos
 
 
 04 – TECNOLOGIA, EQUIPAMENTOS E INOVAÇÃO NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR – REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR
 Gustavo Andreazza Laporte
 Duração: 14 minutos
 
 05 – TECNOLOGIA, EQUIPAMENTOS E INOVAÇÃO NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR – AVALIAÇAÕ E DIAGNÓSTICO
 Ivan Paiva Filho
 Duração: 31 minutos
 
 06 – ÁREAS DE ATUAÇÃO DO APH NO SETOR PRIVADO
 Erik Macedo Caetano
 Duração: 16 minutos
 
 07 – USO DE MÍDIAS SOCIAIS NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR - MINICONFERÊNCIA
 João Greco
 Duração: 10 minutos
 
 08 – EXPERIÊNCIAS EXITOSAS NO SAMU
 Gustavo Andreazza Laporte
 Duração: 13 minutos
 
 09 – O ENSINO NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
 Antônio Rogério Proença Tavares Crespo
 Duração: 25 minutos
 
 
 01 – THE DAY I SAVED THE DAY
 Oscar Navea Carrasco
 Duração: 7 minutos
 
 02 – THE DAY THAT “I SAVED THE DAY”
 William Mallon
 Duração: 6 minutos
 
 03 – SALVEI UMA VIDA OU SALVEI O MUNDO INTEIRO? (THE DAY I SAVED THE DAY)
 Frederico Arnaud
 Duração: 6 minutos
 
 04 – STABILIZING THE CRASHING RENAL FAILURE PATIENT
 Reuben Strayer
 Duração: 27 minutos
 
 05 – ENDOCRINE EMERGENCIES
 Rolando Valenzuela
 Duração: 13 minutos
 
 06 – INTUBATING THE SEVERE METABOLIC ACIDOSIS PATIENT
 Reuben Strayer
 Duração: 19 minutos
 
 07 – EMERGENCY MEDICINE IS A BALANCING ACT
 Rob Rogers
 Duração: 16 minutos
 
 08 – PUSH DOSE PRESSORS: WHEN? HOW? SAFE?
 Carlos Basaure
 Duração: 13 minutos
 
 09 – GOT LACTATE? APPROACH TO A PERSISTENTLY ELEVATED LACTATE IN THE SEPTIC PATIENT
 Manrique Umana
 Duração 14 minutos
 
 10 – CETOACIDOSE DIABÉTICA: LIÇÕES BRASILEIRAS
  Teixeira
 Duração: 20 minutos
 
 11 – COMO MANTER-SE CALMO MESMO SOB STRESS INTENSO (HOW TO KEEP YOUR COOL
 UNDER INTENSE STRESS)
 Reuben Strayer
 Duração: 27 minutos
 
 12 – SOLENIDADE DE ABERTURA
 Duração: 120 minutos
 
 
 01 – BRONQUITE AGUDA
 Hany Simon Junior
 Duração: 17 minutos
 
 02 – VNI OU CATETER NASAL DE ALTO FLUXO DE OXIGÊNIO NA SE?
 Patricia Lago
 Duração: 21 minutos
 
 03 – ANAFILAXIA
 Hany Simon Junior
 Duração: 23 minutos
 
 04 – EMERGÊNCIAS INFECCIOSAS – CHOQUE SÉPTICO
 João Carlos Santana
 Duração: 21 minutos
 
 05 – FEBRE SEM SINAIS LOCALIZATÓRIOS
 Amélia Gorete Reis
 Duração: 21 minutos
 
 06 – MENINGITE TUBERCULOSA:MUITAS PERGUNTAS, POUCAS RESPOSTAS...
 João Carlos Santana
 Duração: 21 minutos
 
 07 – DISCUSSÃO
 Duração: 20 minutos
 
 08 – ATENDIMENTO DO TRAUMA EM PEDIATRIA CASO CLÍNICO: TRAUMA ABDOMINAL NA PEDIATRIA
 Antônio Emílio Guilhon Lôbo
 Duração: 20 minutos
 
 09 – CRIANÇA VITIMIZADA: QUANDO SUSPEITAR
 Paulo G. B. Colares
 Duração: 19 minutos
 
 10 – DISCUSSÃO
 Duração: 32 minutos
 
 11 – CASO CLÍNICO - CUIDADOS PALIATIVOS NA EMERGÊNCIA
 Cristiane Rodrigues de Souza / Patricia Lago
 Duração: 34 minutos
 
 12 – ASMA AGUDA GRAVE NA EM EMERGÊNCIA PEDIÁTRICA
 Patricia Lago
 Duração: 31 minutos
 
 
 01 – SAMU NO BRASIL – CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS
 Paulo de Tarso Abrahão
 Duração: 13 minutos
 
 02 – SAMU NO BRASIL: “FOCO EM SOLUÇÕES, NÃO EM PROBLEMAS!”
 Jovane Ernesto Constantini
 Duração: 11 minutos
 
 03 – ACREDITAÇÃO SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL DE URGÊNCIA (SAMU) E TRANSPORTE INTER-HOSPITALAR
 Patricia Neto
 Duração: 16 minutos
 
 04 – UM DIA TRISTE NO PARQUE – DISCUSSÃO DE CASO 0 IMV
 Leonardo Lucena Borges
 Duração: 20 minutos
 
 05 – TRAGÉDIA DA BOATE KISS
 Carlos Fernando D. Dornelles
 Duração: 23 minutos
 
 06 – AFOGAMENTO – CADEIA DE SOBREVIVÊNCIA
 David Szpilman
 Duração:25 minutos
 
 07 – APH – AÉREO X TERRESTRE
 Jorge Ribera
 Duração: 37 minutos
 
 08 – CONTROVÉRSIAS NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
 Josiene Germano
 Duração: 10 minutos
 
 09 – DECLARAÇÃO DE POTENCIAL CONFLITO DE INTERESSE
 Júnia Shizue Sueoka
 Duração: 11 minutos
 
 10 – CONTROVÉRSIAS NO ATENDIMENTO PRÉ HOSPITALAR – HEMODERIVADOS
 Maria Cecília Damasceno
 Duração: 09 minutos
 
 11 – DISCUSSÃO
 Duração: 22 minutos
 
 12 – DESASTRES E INCIDENTES COM MÚLTIPLAS VÍTIMAS (IMVS) – TÓPICOS ESSENCIAIS NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
 Leonardo Lucena Borges
 Duração: 23 minutos
 
 13 – APH – ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR TÁTICO
 Rodrigo Tadeu Rodrigues Silvestre
 Duração: 33 minutos
 
 14 – REGULAÇÃO MÉDICA: A ESSÊNCIA DA ATUAÇÃO MÉDICA
 Antonio Onimaru
 Duração: 16 minutos
 
 15 – ARTICULAÇÃO DA REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 Michel Cadenas
 Duração: 14 minutos
 
 16 – DECLARAÇÃO DE CONFLITO DE INTERESSES
 Cláudio Azevedo
 Duração: 11 minutos
 
 17 – Discussão
 Duração: 35 minutos
 
 
 01 – COMO OBTER APOIO DAS OUTRAS ESPECIALIDADES
 Christina Bloem
 Duração: 21 minutos
 
 02 – COMBINING EFFICIENCY AND PATIENT SATISFACTION IN THE ED
 Ross Tannebaum
 Duração: 35 minutos
 
 03 – CENÁRIO DE GRANDES CATÁSTROFES – INTEGRAR É PRECISO
 Michel Cadenas
 Duração: 22 minutos
 
 04 – HIPERTENSÃO INTRA-ABDOMINAL
 Bruno M. Pereira
 Duração: 18 minutos
 
 05 – TELEMEDICINE AND EMERGENCY MEDICINE
 Ross Tannebaum
 Duração: 16 minutos
 
 06 – DIFFICULT PREOX IN THE ED: HOW TO DO IT
 Allan Vidal
 Duração: 15 minutos
 
 07 – BUILDING A CURRICULUM BASED ON ENTRUSTABLE PROFESSIONAL ACTIVITIES
 Reinier Hoff
 Duração: 19 minutos
 
 08 – SYNCOPE – HOW TO EVALUATE AND SAFELY DISCHARGE FROM ED
 Allan Vidal
 Duração: 13 minutos
 
 09 – O DIAGNÓSTICO DA CEFALEIA NA EMERGÊNCIA – IDENTIFICANDO CAUSAS SECUNDÁRIAS PERIGOSAS
 João José Carvalho
 Duração: 23 minutos
 
 10 – COMO NÃO ERRAR NO RAIO-X
 Bruno M. Pereira
 Duração: 13 minutos
 
 11 – USO JUDICIOSO DE TOMOGRAFIAS NO TRAUMA
 Carlos Macedo
 Duração: 13 minutos
 
 12 – IMAGENS QUE TODO EMERGENCISTA DEVE RECONHECER
 Silvana Pinheiro
 Duração: 12 minutos
 
 13 – OS MALES DE PEDIR EXAMES DEMAIS
 Maria Aparecida Braga
 Duração: 21 minutos
 
 14 – AVALIANDO A TC DE ABDÔMEN
 Francisco Julimar Correia de Menezes
 Duração: 26 minutos
 
 15 – AVALIANDO A TC DE TÓRAX
 Carlos Macedo
 Duração: 20 minutos
 
 01 – Ultrassonografia Pulmonar: Como fazer
 Ana Luisa Silveira Vieira
 Duração: 25 minutos
 
 02 –Como obter facilmente as janelas cardíacas
 José Muniz Pazeli JR-
 Duração: 41 minutos
 
 03 – Ecografia venosa de membro inferior
 Leonardo Vera
 Duração: 22 minutos
 
 04 – Ultrassonografia no trauma: do fast ao fast
 Nagele de Sousa Lima
 Duração: 18 minutos
 
 05 – Ultrassonografia cardíaca focada na parada cardiorespiratória
 Juliano Lima Santos
 Duração: 35 minutos
 
 06 – WINFOCUS – WORLD INTERACTIVE NETWORK FOCUSED ON CRITICAL ULTRASOUND
 Laura A. Hurtado
 Duração: 21 minutos
 
 07 Paciente neurológico
 Elmo Pereira
 Duração: 19 minutos
 
 08 Ultrassonografia no abdome agudo
 Diego M. Barca
 Duração: 27 minutos
 
 09 – Avaliação da IRpA: Da intubação ao Desmame
 José Muniz Pazeli JR
 Duração: 27 minutos
 
 11 Simulação
 Duração: 33 minutos
 
 
 1 - Parada Cardiorrespiratória (PCR)
 Breno Douglas Dantas Oliveira
 Duração 21 minutos
 
 2 - PCR em ritmo não chocável
 Khalil Feitosa
 Duração 17 minutos
 
 3 – Cuidados Pós – PCR Grave demais para transportar
 Francisco Adailton Alencar Braga
 Duração: 12 minutos
 
 4 -  Monitorização neurontensiva no departamento de Emergência
 Viviane Cordeiro Veiga
 Duração: 18 minutos
 
 5 – Intubando o paciente neurocrítico no DE
 Tacylio Esdras de Almeida Rocha
 Duração: 21 minutos
 
 6 – Paciente Neurocrítico Combatendo os danos secundários
 Carlos Vinícius Mota de Melo
 Duração: 21 minutos
 
 7 – PACIENTE NEUROCRÍTICO: COMBATENDO OS DANOS SECUNDÁRIOS
 Carlos Vinícius Mota de Melo
 Duração: 22 minutos
 
 10 - O Antibiótico certo na hora certa: como achar foco?
 Bráulio Matias de Carvalho
 Duração 34 minutos
 
 11 – Sepse: Devemos usar monitorização avançada no DE
 Luciano Azevedo
 Duração: 22 minutos
 
 12 – Drogas Vasoativas suporte no paciente grave
 Francisco Adailton Alencar Braga
 Duração: 10 minutos
 
 13 – O que é necessário no departamento de emergência: Pacientes graves
 Rodrigo Antonio Brandão Neto
 Duração: 12 minutos
 
 14 - Ventilação Mecânica na Emergência (bases clínicas e fisiológicas)
 Marcelo Alcantara Holanda
 Duração: 13 minutos
 
 15 – Update em cuidados críticos no departamento de emergência
 Helio Penna Guimaraes
 Duração 21 minutos
 
 17 – Reposição Volêmica
 Bruno M. Pereira
 Duração 18 minutos
 
 18 – Guiando reposição de fluidos sem monitorização invasiva no OS
 Luciano Azevedo
 Duração: 23 minutos
 
 19 – Gerenciamento de fluidos
 Josiene Germano
 Duração: 10 minutos
 
 21 Benefícios de um departamento de emergência
 Christina Bloem
 Duração: 29 minutos
 
 DVD 11
 01 – NOVEL FOR TEACHING – ACUTE CORONARY SYNDROME
 Jonathan Bronner
 Duração: 15 minutos
 
 02 – POCUS NO IAM
 Elmo Pereira
 Duração: 13 minutos
 
 03 – MYOCARDIAL INFARCTION IN THE MORBIDLY OBESE
 Christopher I. Doty
 Duração: 16 minutos
 
 04 – Debate
 Duração: 11 minutos
 
 05 – POST-ARREST CARE: BEYOND HYPOTHERMIA
 Rolando G. Valenzuela
 Duração: 9 minutos
 
 06 – OS DISPOSITIVOS QUE PODEM MUDAR O RUMO DA RESSUSCITAÇÃO
 Sergio Timerman
 Duração: 19 minutos
 
 07 – COMO LIDERAR UMA PARADA PERFEITA
 Pablo Aguilera
 Duração: 16 minutos
 
 
 08 – Debate
 Duração: 9 minutos
 
 09 – INFECTIONS THAT KILL YOU FAST
 Christopher I. Doty
 Duração: 24 minutos
 
 10 – TRATANDO INFECÇÕES GRAVES NOS IMUNODEPRIMIDOS
 Pablo Aguilera
 Duração: 18 minutos
 
 11 – ATUALIZAÇÃO DA SEPSE
 Aécio Teixeira de Gois
 Duração 23 minutos
 
 12 – Debate
 Duração: 4 minutos
 
 13 – BACK PAIN: PHYSICAL EXAM SECRETS AND IMAGING INDICATIONS
 Jonathan Bronner
 Duração: 21 minutos
 
 14 - AVOID DROWNING! STRATEGIES TO STAY AWAY FRAM INTUBATION IN ACUTE PULMONARY EDEMA
 Manrique Umaña McDermoff
 
 15 – CHOQUE CARDIOGÊNICO: ESTABILIZANDO ANTES DO CATE
 Mário Alves
 Duração: 14 minutos
 
 
 16 – IC TERMINAL: RECONHECENDO O FIM E ESTABELECENDO LIMITES TERAPÊUTICOS
 Glauber Gean
 Duração: 16 minutos
 
 17 – DIAGNÓSTICO E MANEJO DAS VASCULITES NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
 Andrea Rocha de S. Mont’ Alverne
 Duração: 16 minutos
 
 18 – 5 SIMPLE COMPLAINTS THAT SHOULD ALWAYS BE INVESTIGATED IN THE ED
 David Acuña R.
 Duração: 15 minutos
 
 19 – QUANDO FAZER PULSO DE CORTICOIDE NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA?
 Sandra Lúcia Michiles Santos
 Duração: 16 minutos
 
 20 – PERIPHERAL NERVE INJURY DIAGNOSTICS AND MANAGEMENT
 David Acuña R.
 Duração: 17 minutos
 
 21 – US FOR FLUID MANAGEMENT
 Carlos Basaure
 Duração: 24 minutos
 
 22 – PNEUMONIA ADQUIRIDA NA COMUNIDADE
 Ronald Pedrosa
 Duração: 40 minutos
 
 
 01 – CONVULSÃO NA PEDIATRIA MANEJO DO ESTADO DE MAL EPILÉTICO
 Amélia Gorete Reis
 Duração: 21 minutos
 
 02 – SÍNCOPE
 Hany Simon Junior
 Duração: 14 minutos
 
 03 – EMERGÊNCIAS TOXICOLÓGICAS EM PEDIATRIA
 Sulim Abramovici
 Duração: 18 minutos
 
 04 – DISCUSSÃO
 Duração: 11 minutos
 
 05 – AFOGAMENTO
 Sulim Abramovici
 Duração: 26 minutos
 
 06 – SITUAÇÕES ESPECIAIS NA EMERGÊNCIA PEDIÁTRICA
 João Carlos Santana
 Duração: 26 minutos
 
 07 – ECOCARDIOGRAFIA - UMA NOVA FERRAMENTA NA EMERGÊNCIA PEDIÁTRICA
 Ricardo Falcão
 Duração: 28 minutos
 
 08 – DISCUSSÃO
 Duração: 08 minutos
 
 09 – AVC NA EMERGÊNCIA – AVALIANDO E SELECIONANDO PACIENTES
 Fabricio Oliveira Lima
 Duração: 35 minutos
 
 10 – TOMANDO DECISÕES COM NEUROIMAGEM NO AVCI AGUDO: PAPEL DA TC
 Diego Bandeira
 Duração: 43 minutos
 
 11 – TROMBÓLISE – CRITÉRIOS, OPÇÕES E CUIDADOS
 Fabricio Oliveira Lima
 Duração: 38 minutos
 
 12 – CASO CLÍNICO
 Fabricio Oliveira Lima
 Duração: 08 minutos
 
 13 – CASO CLÍNICO
 Rogério Pinheiro da Costa
 Duração: 13 minutos
 
 14 – TROMBECTOMIA MECÂNICA – CRITÉRIOS, OPÇÕES E CUIDADOS
 Diego Bandeira
 Duração: 34 minutos
 
 15 – AVC AGUDO  O QUE TODO EMERGENCISTA DEVE SABER - PACIENTES FORA DA JANELA:
 COMO PROCEDER?
 Fernanda Maia
 Duração: 27 minutos
 
 
 16 – CASO CLÍNICO
 Rogério Pinheiro da Costa
 Duração: 14 minutos
 
 17 – CASO CLÍNICO
 Henrique Coelho Silva
 Duração: 13 minutos
 01 – MARCOS DE COMPETÊNCIAS E ATIVIDADES PROFISSIONAIS E CONFIÁVEIS (EPAS) NA FORMAÇÃO DO MÉDICO EMERGENCISTA (DA GRADUAÇÃO À RECERTIFICAÇÃO)
 Gerson Alves Pereira Junior
 Duração: 32 minutos
 Obs: 15 min sem audio min sem áudio, coloquei o ambiente
 
 02 – AVALIAÇÃO DA INSERÇÃO CURRICULAR DAS RECOMENDAÇÕES ABEM DO ENSINO DE EMERGÊNCIA NA GRADUAÇÃO (VISÃO DISCENTE)
 Cláudio Germano Teodoro
 Duração: 22 minutos
 
 03 – DISCUSSÃO
 Duração: 25 minutos
 
 04 – SITUAÇÕES CLÍNICAS DE ALTA MORBI-MORTALIDADE QUE COSTUMEIRAMENTE PASSAM DESAPERCEBIDAS NO PRONTO SOCORRO
 Paulo Tavares
 Duração: 32 minutos
 
 05 – MODULAÇÃO TERAPÊUTICA DA TEMPERATURA APOS PCR?
 Helio Penna Guimarães
 Duração: 24 minutos
 
 06 – ADRENALINA: DEVEMOS CONTINUAR USANDO EM PARADA CARDÍACA?
 Helio Penna Guimarães
 Duração: 22 minutos
 
 07 – DISCUSSÃO
 Duração: 10 minutos
 
 
 08 – VALORIZAÇÃO DO EMERGENCISTA E O IMPACTO NO SISTEMA DE SAÚDE
 Luiz Ernani Meira Junior
 Duração: 20 minutos
 
 09 – QUE EMERGENCISTAS QUEREMOS FORMAR?
 Luiz Alexandre Alegretti Borges
 Duração: 31 minutos
 
 10 – PESQUISA NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA: ESTADO DA ARTE - QUAL CAMINHO A SEGUIR?
 Marcus V. Andrade
 Duração: 25 minutos
 
 11 – BURNOUT - QUANDO O TRABALHO ADOECE
 Ana Paula da Rocha Freitas
 Duração: 30 minutos
 
 12 – EDUCAÇÃO INTERPROFISSIONAL NA EMERGÊNCIA É POSSÍVEL
 Luiz Alexandre Alegretti Borges
 Duração: 14 minutos
 
 13 – ESTRATÉGIAS EDUCACIONAIS NO APH
 Paulo de Tarso Monteiro Abrahão
 Duração: 11 minutos
 
 14 – GESTÃO ASSISTENCIAL E DE RECURSOS HUMANOS NA REDE DE EMERGÊNCIA
 Fernando Henrique de Paula Uzuelli
 Duração: 31 minutos
 
 15 – Discussão
 Duração: 31 minutos
 
 01 – COMO CONSTRUIR UMA EMERGÊNCIA REFERÊNCIA EM TRAUMA?
 Ivan Paiva Filho
 Duração: 37 minutos
 
 02 – APLICAÇÕES POINT OF CARE NO TRAUMA: INDO ALÉM DO FAST
 Marcio Rodrigues
 Duração: 29 minutos
 
 03 – PROCEDIMENTOS NO TRAUMA COMO TORNAR-SE UM MESTRE
 Ana Paula Freitas
 Duração: 13 minutos
 
 04 – RESSUSCITAÇÃO NO TRAUMA: ACLS PODE SER USADO
 Andre Yuuzo Sugayama
 Duração: 09 minutos
 
 05 - DISCUSSÃO
 Duração: 16 minutos
 
 06 – RESSUSCITAÇÃO HEMOSTÁTICA NA EMERGÊNCIA
 Lindemberg da costa lima
 Duração: 19 minutos
 
 07 – QUANDO ACIONAR O PROTOCOLO DE TRANSFUSÃO MACIÇA
 Ana Paula Freitas
 Duração: 25 minutos
 
 08 – USO DA TROMBOELASTOMETRIA NO TRAUMA NO SALA DE EMERGÊNCIA
 Roseny Rodrigues
 Duração: 25 minutos
 
 09 – DISCUSSÃO
 Duração: 13 minutos
 
 10 – INFECÇÕES COMPLICADAS DE PELE E PARTES MOLES (ICPPM): ACERTAR NA PRIMEIRA ABORDAGEM
 Ronald Pedrosa
 Duração: 44 minutos
 
 11 – DE ONDE VEM ESSE CHOQUE? COMO MANEJAR O CHOQUE SEM SANGRAMENTO EXTERIORIZADO NO TRAUMA
 Francisco Julimar Correia de Menezes
 Duração: 21 minutos
 
 12 – HEMOSTATIC RESSUSCITATION
 Ana Paula Freitas
 Duração: 18 minutos
 
 13 – DANDO ALTA COM SEGURANÇA AO PACIENTE ESTÁVEL VÍTIMA DE TRAUMA DE MECANISMO PERIGOSO
 Luiz Fernando Varela
 Duração: 13 minutos
 
 14 – MANEJO DA DOR NO POLITRAUMATIZADO
 Márcio Rodrigues
 Duração: 26 minutos
 
 15 – LESÕES DE NERVOS PERIFÉRICOS DIAGNÓSTICO E MANEJO
 Flavio Leitão Filho
 Duração: 22 minutos
 
 16 – DOR LOMBAR NA EMERGÊNCIA – EVIDENCIAS EM DIAGNÓSTICO
 Maximiliano porto
 Duração: 18 minutos
 
 17 – MANEJO DA VIA AÉREA NO PACIENTE SÉPTICO
 Jule R. O. G. Santos
 Duração: 19 minutos
 
 18 – A PRÉ-OXIGENAÇÃO DIFÍCIL NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
 André Gaio de Carvalho
 Duração: 22 minutos
 
 19 – A DECISÃO DA VIA AÉREA CIRÚRGICA NO DE
 Nicole Pinheiro Moreira
 Duração: 17 minutos
 
 01 – Trombólise no idoso deve ser realizada?
 Fabricio Oliveira Lima
 Duração: 18 minutos
 
 02 – avci com transformação hemorrágica: e agora?
 Fernando Maia Carvalho
 Duração: 19 minutos
 
 03 – relato de convulsão duvidosa e déficit persistente em jovem adulto: devo trombolisar?
 Patricia Gomes Damasceno
 Duração: 17 minutos
 
 04 – suspeita de hemorragia subaracnoide com tc de crânio normal
 Bianca Domingues Bertuzzi
 Duração: 11 minutos
 
 05 – catástrofes intracranianas: o que fazer primeiro?
 Carla Bittencourt Rynkowski
 Duração: 19 minutos
 
 06 – tcc no avci agudo – 05 sinais que todo emergencista deve saber
 João José Carvalho
 Duração: 18 minutos
 
 07 – programa de pós-graduação em ciências médicas
 Alexandre Braga Libório
 Duração: 21 minutos
 
 08 – indicação de hemodiálise precoce ou tardia?
 Maria Camila Lunardi
 Duração: 18 minutos
 
 09 – como eu faço: coma por múltiplas drogas
 Renata A. Tambelli
 Duração: 22 minutos
 
 10 – e o sódio? Quando e como consertar na emergência
 Eugênio Franco
 Duração: 22 minutos
 
 11 – acidose metabólica grave: como conduzir diagnóstico etiológico e conduta no departamento de emergência?
 Maria Camila Lunardi
 Duração: 29 minutos
 
 12 – meu paciente é candidato a cuidados paliativos?
 Sabrina Corrêa da Costa Ribeiro
 Duração: 14 minutos
 13 – planejamento terapêutico e fim de vida no de
 Penélope Matos Wirtzbiki
 Duração: 33 minutos
 
 01 – DOR TORÁCICA NA EMERGÊNCIA
 Nicole Pinheiro Moreira
 Duração: 26 minutos
 
 02 – DISPNEIA NO EMERGÊNCIA - CENÁRIOS
 Artur Fermon
 Duração: 25 minutos
 
 03 – DISCUSSÃO
 Duração: 09 minutos
 
 04 – SHOW DE ECG’S
 Artur Fermon
 Duração: 25 minutos
 
 05 – ULTRASSOM NO MANEJO DAS PATOLOGIAS CARDIOPULMONARES
 Daniel Fontana Pedrollo
 Duração: 19 minutos
 
 06 – DÉFICIT NEUROLÓGICO AGUDO NA SALA DE EMERGÊNCIA - AVC
 Sonia de Souza Rogeri
 Duração: 15 minutos
 
 07 – CEFALEIA NA SALA DE EMERGÊNCIA
 Juan Valdivia
 Duração: 21 minutos
 
 08 – EXAME NEUROLÓGICO - EMERGÊNCIA
 Artur Fermon
 Duração: 11 minutos
 
 09 – ERROS COMUNS NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
 Helio Penna Guimaraes
 Duração: 40 minutos
 
 10 – ATENDIMENTO AO PACIENTE VÍTIMA DE TRAUMA TORÁCICO PENETRANTE
 Braian Castro
 Duração: 19 minutos
 
 11 – TRAUMA ABDOMINAL
 Gerson Alves P. Júnior
 Duração: 21 minutos
 
 12 – ULTRASSOM NO MANEJO DO TRAUMA
 Daniel Fontana Pedrollo
 Duração: 17 minutos
 
 13 – PROCEDIMENTO CIRÚRGICO PARA O MÉDICO EMERGENCISTA
 Jobert Mitson S. dos Santos
 Duração: 18 minutos
 
 14 – ABORDAGEM DO PACIENTE COM DOR ABDOMINAL
 Gerson Alves P. Júnior
 Duração: 24 minutos
 
 15 – O IDOSO PROSTRADO NO PS
 Aécio Flavio Teixeira de Gois
 Duração: 23 minutos
 
 16 – INTERPRETANDO A GASOMETRIA NO DE
 Tarcylio Esdras de A. Rocha
 Duração: 23 minutos
 
 17 – MÉTODOS DE AVALIAÇÃO HEMODINÂMICA NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
 Juan Valdivia
 Duração: 17 minutos
 
 01 – CRISE HIPERTENSIVAS: MITOS E VERDADES
 Rafael Nogueira de Macedo
 Duração: 16 minutos
 
 02 – IC: QUANDO INTERNAR E QUANDO DAR ALTA DIRETO DO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
 Glauber Gean
 Duração: 21 minutos
 
 03 –MANEJO DO PACIENTE HEPATOPATA NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
 Rodrigo Antonio Brandão Neto
 Duração: 22 minutos
 
 04 – DPOC NA EMERGÊNCIA – MITOS E VERDADES
 Sabrina Correa da Costa Ribeiro
 Duração: 19 minutos
 
 05 – DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL E SUAS INTERCORRÊNCIAS
 Carolina Pimentel
 Duração: 23 minutos
 
 
 06 – AVALIANDO O RISCO DE SUICÍDIO NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
 Glauce Cerqueira C. da Silva
 Duração: 11 minutos
 
 07 – SURTO PSICÓTICO
 Fernando Fidelis
 Duração: 19 minutos
 
 08 – CONTENÇÃO QUÍMICA E SEUS SEGREDOS
 Alexandre Menezes Sampaio
 Duração: 17 minutos
 
 09 – LESÕES DE PELE QUE TODO EMERGENCISTA DEVE IDENTIFICAR E TRATAR
 Renê Diógenes
 Duração: 36 minutos
 
 10 – LESÕES OCULARES QUE TODO EMERGENCISTA PRECISA SABER
 Pedro Javier Yugar_1
 Duração: 15 minutos
 
 11 – ASSISTÊNCIA MÉDICA NO POTENCIAL DOADOR
 Sanlio Cirne de O. Filho
 Duração: 23 minutos
 
 12 – ATUALIZAÇÕES EM LEGISLAÇÃO E TRANSPLANTE
 Eliana Régia Barbosa de Almeida
 Duração: 20 minutos
 
 13 – TRANSPLANTADO NA EMERGÊNCIA
 Renato Tambelli
 Duração: 15 minutos
 
 
 01 – INFLUENZA – REALIDADE NO BRASIL
 Guilherme Henn
 Duração: 30 minutos
 
 02 – USOS NÃO-CONVENCIONAIS DA LIDOCAÍNA
 Diego Amoroso
 Duração: 18 minutos
 
 03 – ESTRATÉGIAS PARA LIDAR COM A SUPERLOTAÇÃO
 Welfane Cordeiro Junior
 Duração: 41 minutos
 
 04 – HIPERGLICEMIA: QUANDO TRATAR E COMO MANEJAR
 Rodrigo Antonio Brandão Neto
 Duração: 29 minutos
 
 05 – AVALIAÇÃO POCUS DA CÓLICA RENAL
 Diego Martin Barca
 Duração: 22 minutos
 
 06 – FA DE ALTA RESPOSTA: POSSO RESOLVER NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
 João Luiz A. A. Falcão
 Duração: 24 minutos
 
 07 – ECGS QUE TODO EMERGENCISTA DEVE CONHECER
 Raimundo Barbosa Barros
 Duração: 34 minutos
 
 08 – Discussão
 Duração: 09 minutos
 
 
 01 – EPISTAXE
 André Alencar
 Duração: 16 minutos
 
 02 – HEMORRAGIA DIGESTIVA ALTA: MITOS E VERDADES
 Régis Bezerra da Silva
 Duração: 12 minutos
 Obs: áudio ambiente aula inteira por problemas no principal
 
 03 – NOVOS ANTICOAGULANTES E SANGRAMENTO: COMO REVERTER?
 Patrick Áureo Lacerda de Almeida Pinto
 Duração: 15 minutos
 
 04 – Discussão
 Duração: 10 minutos
 
 05 – VNI (NIV) NO PACIENTE AGITADO – COMO EU FAÇO?
 Artur Fermon
 Duração: 23 minutos
 
 06 – TORACOTOMIA E PERICARDIOCENTESE NO TRAUMA TORÁCICO
 Artur Fermon
 Duração: 31 minutos
 
 07 – VIA AÉREA DIFÍCIL NA RESSUSCITAÇÃO DA CARDIO PULMONAR
 Geraldine Ribeiro Barcelos Carps
 Duração: 33 minutos
 
 DVD 22
 01 – INTUBANDO UM PACIENTE NA EMERGÊNCIA
 Aleocidio Sette Balzanelo
 Duração: 21 minutos
 
 
 02 – VIA AÉREA DIFÍCIL
 Tarcylio Esdras de Almeida Rocha
 Duração: 16 minutos
 
 03 – DISPOSITIVOS DE VIA AÉREA
 Jobert Mitson Silva dos Santos
 Duração: 17 minutos
 
 04 – Discussão
 Duração: 03 minutos
 
 05 – MINDSET DO EMERGENCISTA
 Khalil Feitosa
 Duração: 27 minutos
 
 
 01 – DENGUE
 Guilherme Henn
 Duração: 23 minutos
 
 02 – ARBOVIROSES - FEBRE AMARELA
 Bráulio Matias de Carvalho
 Duração: 23 minutos
 
 03 – Discussão
 Duração: 14 minutos
 
 04 – USO DE JUDICIOSO DE OPIOIDES NO DE
 Sabrina Corrêa da Costa Ribeiro
 Duração: 15 minutos
 
 05 – ANALGESIA – OPÇÕES PARA PACIENTES ALÉRGICOS
 Pedro Perez Barbieri
 Duração: 20 minutos
 
 06 – BLOQUEIOS PERIFÉRICOS NO TRAUMA E EMERGÊNCIA
 Danielle Dumaresq
 Duração: 25 minutos
 
 07 – Discussão
 Duração: 04 minutos
 
 08 – ACIDENTES DE CONSUMO: UMA EPIDEMIA GLOBAL
 Paulo Coscarelli
 Duração: 27 minutos
 
 01 – QUALIDADE E SEGURANÇA DO PACIENTE NAS EMERGÊNCIAS, A IMPORTÂNCIA DOS PROTOCOLOS GERENCIADOS
 Fernando Henrique de Paula Uzuelli
 Duração: 30 minutos
 
 02 – EXPERIÊNCIA DO PACIENTE NA EMERGÊNCIA – MÉTODOS DE AVALIAÇÃO
 Maurício Menna Barreto
 Duração: 33 minutos
 
 03 – PROJETO LEAN NAS EMERGÊNCIAS
 Rasível dos Reis Santos Júnior
 Duração: 24 minutos
 
 04 – SUSTENTABILIDADE NA EMERGÊNCIA
 Fernando Sefrin Jr
 Duração: 25 minutos
 
 05 – EMERGÊNCIA – NOVAS ESTRATÉGIAS PARA ENFRENTAMENTO DA SUPERLOTAÇÃO
 Alex Sander Ribeiro
 Duração: 11 minutos
 
 06 – NOVAS ESTRATÉGIAS PARA ENFRENTAMENTO DA SUPERLOTAÇÃO
 Fernando Sefrin Jr
 Duração: 10 minutos
 
 07 – COMO ENFRENTAR A SUPERLOTAÇÃO NA EMERGÊNCIA?
 Tarcylio Esdras de Almeida Rocha
 Duração: 12 minutos
 
 08 – NOVAS ESTRATÉGIAS PARA ENFRENTAMENTO DA SUPERLOTAÇÃO CONTINGÊNCIA
 Fernando Henrique de Paula Uzuelli
 Duração: 17 minutos

2 anos Sem tempo para fazer o curso agora? Não tem problema.
Você poderá participar desse curso até 2 anos após a matrícula.

Emergencistas / Clinico Geral / Intensivistas / Alunos de Medicina / Plantonistas / Socorristas 

Medicine Cursos
""


MedicineCursos
""


Nenhuma descrição cadastrada.

Conteúdo Programático

  • 1. 01 – ASMA GRAVE: O QUE FAZER PARA EVITAR IOT? - Mara Figueiredo
  • 2. 02 – ASMA GRAVE: RECONHECER O MOMENTO CORRETO E COMO PREPARAR A INTUBAÇÃO!
  • 3. 03 – COMO VENTILAR O PACIENTE ASMÁTICO?
  • 4. 04 – MANEJO DA SCA COMO CAUSA DE PCR
  • 5. 05 – ESTRAFICANDO O RISCO PARA O MUNDO REAL
  • 6. 06 – HIPOTERMIA COMO TERAPÊUTICA ADJUVANTE À INTERVENÇÃO CORONÁRIA PERCUTÂNEA EM PACIENTES COM INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO -ESTUDO COOL-MI INCOR-
  • 7. 07 – PHYSIOLOGY AND PATHOPHYSIOLOGY OF USING AUTO-TRANSFUSION TOURNIQUET (A-TT) FOR CPR IN CARDIAC ARREST
  • 8. 08 – THE CAUSE OF DEATH IN SEVERE SHOCK
  • 9. 09 – QUÃO SÚBITA É A MORTE SÚBITA CARDÍACA?
  • 10. 10 – INTERNACIONAL CONFERENCE ON EMERGENCY MEDICINE 2020
  • 1. 01 – O QUE É ULTRASSONOGRAFIA POINT-OF-CARE
  • 2. 02 – WINFOCUS
  • 3. 03 – 24H NA VIDA DO EMERGENCISTA
  • 4. 04 – DEBATE
  • 5. 05 – AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA
  • 6. 06 – NERVE BLOCK IN TRAUMA
  • 7. 07 – ULTRASSONOGRAFIA POINT-OF-CARE NO ATENDIMENTO HOSPITALAR
  • 8. 08 – DISCUSSÃO
  • 1. 01 – COMO FAÇO PARA SER ESPECIALISTA EM RESGATE TÁTICO
  • 2. 02 – EMERGENCY MEDICINE IN ISRAEL
  • 3. 03 – SIMULADOS INTER-INSTITUCIONAIS DE INCIDENTES COM MÚLTIPLAS VÍTIMAS
  • 4. 04 – SUB-SPECIALIZING IN DISASTER MEDICINE
  • 5. 05 – NOT YOUR EVERDAY PATIENT
  • 6. 06 – WTF-U-MABS AND EMERGENGY MEDICINE
  • 7. 07 – WORKING SMARTER
  • 8. 08 – DIGOXIN SHOULD DIE
  • 9. 09 – HERO
  • 1. 01 – CRIANÇA COM DOR ABDOMINAL AGUDA
  • 2. 02 – DOR ABDOMINAL: É CIRÚRGICO?
  • 3. 03 – DOR ABDOMINAL: É CIRÚRGICO?
  • 4. 04 – ABDOME AGUDO NA INFÂNCIA
  • 5. 05 – RESSUCITAÇÃO CARDIOPULMONAR PEDIÁTRICA
  • 6. 06 – CONFLITOS ÉTICOS/LEGAIS NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA
  • 1. 01 – ATLS 10ª ED. E O IMPACTO NO ENTEDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
  • 2. 02 – CONTROLE DA DOR NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR: MITOS E VERDADES
  • 3. 03 – TECNOLOGIA, EQUIPAMENTOS E INOVAÇÃO NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR – VIA AÉREA
  • 4. 04 – TECNOLOGIA, EQUIPAMENTOS E INOVAÇÃO NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR – REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR
  • 5. 05 – TECNOLOGIA, EQUIPAMENTOS E INOVAÇÃO NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR – AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO
  • 6. 06 – ÁREAS DE ATUAÇÃO DO APH NO SETOR PRIVADO
  • 7. 07 – USO DE MÍDIAS SOCIAIS NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR - MINICONFERÊNCIA
  • 8. 08 – EXPERIÊNCIAS EXITOSAS NO SAMU
  • 9. 09 – O ENSINO NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
  • 1. 01 – THE DAY I SAVED THE DAY
  • 2. 02 – THE DAY THAT “I SAVED THE DAY”
  • 3. 03 – SALVEI UMA VIDA OU SALVEI O MUNDO INTEIRO? (THE DAY I SAVED THE DAY)
  • 4. 04 – STABILIZING THE CRASHING RENAL FAILURE PATIENT
  • 5. 05 – ENDOCRINE EMERGENCIES
  • 6. 06 – INTUBATING THE SEVERE METABOLIC ACIDOSIS PATIENT
  • 7. 07 – EMERGENCY MEDICINE IS A BALANCING ACT
  • 8. 08 – PUSH DOSE PRESSORS: WHEN? HOW? SAFE?
  • 9. 09 – GOT LACTATE? APPROACH TO A PERSISTENTLY ELEVATED LACTATE IN THE SEPTIC PATIENT
  • 10. 10 – CETOACIDOSE DIABÉTICA: LIÇÕES BRASILEIRAS
  • 11. 11 – COMO MANTER-SE CALMO MESMO SOB STRESS INTENSO (HOW TO KEEP YOUR COOL UNDER INTENSE STRESS)
  • 12. 12 – SOLENIDADE DE ABERTURA
  • 1. 01 – BRONQUITE AGUDA
  • 2. 02 – VNI OU CATETER NASAL DE ALTO FLUXO DE ONOGÊNIO NA SE?
  • 3. 03 – ANAFILAXIA
  • 4. 04 – EMERGÊNCIAS INFECCIOSAS – CHOQUE SÉPTICO
  • 5. 05 – FEBRE SEM SINAIS LOCALIZATÓRIOS
  • 6. 06 – MENINGITE TUBERCULOSA:MUITAS PERGUNTAS, POUCAS RESPOSTAS...
  • 7. 07 – DISCUSSÃO
  • 8. 08 – ATENDIMENTO DO TRAUMA EM PEDIATRIA CASO CLÍNICO: TRAUMA ABDOMINAL NA PEDIATRIA
  • 9. 09 – CRIANÇA VIITIMIZADA: QUANDO SUSPEITAR
  • 10. 10 – DISCUSSÃO
  • 11. 11 – CASO CLÍNICO - CUIDADOS PALIATIVOS NA EMERGÊNCIA
  • 12. 12 – ASMA AGUDA GRAVE NA EM EMERGÊNCIA PEDIÁTRICA
  • 1. 01 – SAMU NO BRASIL – CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS
  • 2. 02 – SAMU NO BRASIL: “FOCO EM SOLUÇÕES, NÃO EM PROBLEMAS!”
  • 3. 03 – ACREDITAÇÃO SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL DE URGÊNCIA (SAMU) E TRANSPORTE INTER-HOSPITALAR
  • 4. 04 – UM DIA TRISTE NO PARQUE – DISCUSSÃO DE CASO 0 IMV
  • 5. 05 – TRAGÉDIA DA BOATE KISS
  • 6. 06 – AFOGAMENTO – CADEIA DE SOBREVIVÊNCIA
  • 7. 07 – APH – AÉREO X TERRESTRE
  • 8. 08 – CONTROVÉRSIAS NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
  • 9. 09 – DECLARAÇÃO DE POTENCIAL CONFLITO DE INTERESSE
  • 10. 10 – CONTROVÉRSIAS NO ATENDIMENTO PRÉ HOSPITALAR – HEMODERIVADOS
  • 11. 11 – DISCUSSÃO
  • 12. 12 – DESASTRES E INCIDENTES COM MÚLTIPLAS VÍTIMAS (IMVS) – TÓPICOS ESSENCIAIS NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
  • 13. 13 – APH – ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR TÁTICO
  • 14. 14 – REGULAÇÃO MÉDICA: A ESSÊNCIA DA ATUAÇÃO MÉDICA
  • 15. 15 – ARTICULAÇÃO DA REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
  • 16. 16 – DECLARAÇÃO DE CONFLITO DE INTERESSES
  • 17. 17 – Discussão
  • 1. 01 – NOVEL FOR TEACHING – ACUTE CORONARY SYNDROME
  • 2. 02 – POCUS NO IAM - Elmo Pereira
  • 3. 03 – MYOCARDIAL INFARCTION IN THE MORBIDLY OBESE
  • 4. 04 – Debate
  • 5. 05 – POST-ARREST CARE: BEYOND HYPOTHERMIA
  • 6. 06 – OS DISPOSITIVOS QUE PODEM MUDAR O RUMO DA RESSUCITAÇÃO
  • 7. 07 – COMO LIDERAR UMA PARADA PERFEITA
  • 8. 08 – Debate
  • 9. 09 – INFECTIONS THAT KILL YOU FAST
  • 10. 10 – TRATANDO INFECÇÕES GRAVES NOS IMUNODEPRIMIDOS
  • 11. 11 – ATUALIZAÇÃO DA SEPSE
  • 12. 12 – Debate
  • 13. 13 – BACK PAIN: PHYSICAL EXAM SECRETS AND IMAGING INDICATIONS
  • 14. 14 - AVOID DROWNING! STRATEGIES TO STAY AWAY FRAM INTUBATION IN ACUTE PULMONARY EDEMA
  • 15. 15 – CHOQUE CARDIOGÊNICO: ESTABILIZANDO ANTES DO CATE
  • 16. 16 – IC TERMINAL: RECONHECENDO O FIM E ESTABELECENDO LIMITES TERAPÊUTICOS
  • 17. 17 – DIAGNÓSTICO E MANEJO DAS VASCULITES NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
  • 18. 18 – 5 SIMPLE COMPLAINTS THAT SHOULD ALWAYS BE INVESTIGATED IN THE ED
  • 19. 19 – QUANDO FAZER PULSO DE CORTICOIDE NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA?
  • 20. 20 – PERIPHERAL NERVE INJURY DIAGNOSTICS AND MANAGEMENT
  • 21. 21 – US FOR FLUID MANAGEMENT
  • 22. 22 – PNEUMONIA ADQUIRIDA NA COMUNIDADE
  • 1. 01 – COMO OBTER APOIO DAS OUTRAS ESPECIALIDADES
  • 2. 02 – COMBINING EFFICIENCY AND PATIENT SATISFACTION IN THE ED
  • 3. 03 – CENÁRIO DE GRANDES CATÁSTROFES – INTEGRAR É PRECISO
  • 4. 04 – HIPERTENSÃO INTRA-ABDOMINAL
  • 5. 05 – TELEMEDICINE AND EMERGENCY MEDICINE
  • 6. 06 – DIFFICULT PREOX IN THE ED: HOW TO DO IT
  • 7. 07 – BUILDING A CURRICULUM BASED ON ENTRUSTABLE PROFESSIONAL ACTIVITIES
  • 8. 08 – SYNCOPE – HOW TO EVALUATE AND SAFELY DISCHARGE FROM ED
  • 9. 09 – O DIAGNÓSTICO DA CEFALEIA NA EMERGÊNCIA – IDENTIFICANDO CAUSAS SECUNDÁRIAS PERIGOSAS
  • 10. 10 – COMO NÃO ERRAR NO RAIO-X
  • 11. 11 – USO JUDICIOSO DE TOMOGRAFIAS NO TRAUMA
  • 12. 12 – IMAGENS QUE TODO EMERGENCISTA DEVE RECONHECER
  • 13. 13 – OS MALES DE PEDIR EXAMES DEMAIS
  • 14. 14 – AVALIANDO A TC DE ABDOMEN
  • 15. 15 – AVALIANDO A TC DE TÓRAX
  • 1. 01 – ULTRASSONOGRAFIA PULMONAR: COMO FAZER
  • 2. 02 –COMO OBTER FACILMENTE AS JANELAS CARDÍACAS
  • 3. 03 – ECOGRAFIA VENOSA DE MEMBRO INFERIOR
  • 4. 04 – ULTRASSONOGRAFIA NO TRAUMA: DO FAST AO FAST - Nagele de Sousa Lima
  • 5. 05 – ULTRASSONOGRAFIA CARDÍACA FOCADA NA PARADA CARDIORESPIRATÓRIA
  • 6. 06 – WINFOCUS – WORLD INTERACTIVE NETWORK FOCUSED ON CRITICAL ULTRASOUND
  • 7. 07 - PACIENTE NEUROLÓGICO
  • 8. 08 - ULTRASSONOGRAFIA NO ABDOME AGUDO
  • 9. 09 – AVALIAÇÃO DA IRPA: DA INTUBAÇÃO AO DESMAME
  • 10. 10 ----------------
  • 11. 11 - SIMULAÇÃO
  • 1. 1 - PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA (PCR)
  • 2. 2 - PCR EM RITMO NÃO CHOCÁVEL
  • 3. 3 – CUIDADOS PÓS - PCR GRAVE DEMAIS PARA TRANSPORTAR
  • 4. 4 -  MONITORIZAÇÃO NEUROTENSIVA NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
  • 5. 5 – INTUBANDO O PACIENTE NEUROCRÍTICO NO DE
  • 6. 6 – PACIENTE NEUROCRÍTICO COMBATENDO OS DANOS SECUNDÁRIOS
  • 7. 7 – PACIENTE NEUROCRÍTICO: COMBATENDO OS DANOS SECUNDÁRIOS
  • 8. 10 - O ANTIBIÓTICO CERTO NA HORA CERTA: COMO ACHAR FOCO?
  • 9. 11 – SEPSE: DEVEMOS USAR MONITORIZAÇÃO AVANÇADA NO DE
  • 10. 12 – DROGAS VASOATIVAS SUPORTE NO PACIENTE GRAVE
  • 11. 13 – O QUE É NECESSÁRIO NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA: PACIENTES GRAVES
  • 12. 14 - VENTILAÇÃO MECÂNICA NA EMERGÊNCIA (BASES CLÍNICAS E FISIOLÓGICAS)
  • 13. 15 – UPTADE EM CUIDADOS CRÍTICOS NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA - Helio Penna Guimaraes
  • 14. 17 – REPOSIÇÃO VOLÊMICA
  • 15. 18 – GUIANDO REPOSIÇÃO DE FLUIDOS SEM MONITORIZAÇÃO INVASIVA NO OS - Luciano Azevedo
  • 16. 19 – GERENCIAMENTO DE FLUIDOS
  • 17. 21- BENEFÍCIOS DE UM DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
  • 1. 01 – CONVULSÃO NA PEDIATRIA MANEJO DO ESTADO DE MAL EPILÉTICO
  • 2. 02 – SÍNCOPE
  • 3. 03 – EMERGÊNCIAS TOXICOLÓGICAS EM PEDIATRIA
  • 4. 04 – DISCUSSÃO
  • 5. 05 – AFOGAMENTO
  • 6. 06 – SITUAÇÕES ESPECIAIS NA EMERGÊNNCIA PEDIÁTRICA
  • 7. 07 – ECOCARDIOGRAFIA - UMA NOVA FERRAMENTA NA EMERGÊNCIA PEDIÁTRICA
  • 8. 08 – DISCUSSÃO
  • 9. 09 – AVC NA EMERGÊNCIA – AVALIANDO E SELECIONANDO PACIENTES
  • 10. 10 – TOMANDO DECISÕES COM NEUROIMAGEM NO AVCI AGUDO: PAPEL DA TC
  • 11. 11 – TROMBÓLISE – CRITÉRIOS, OPÇÕES E CUIDADOS
  • 12. 12 – CASO CLÍNICO
  • 13. 13 – CASO CLÍNICO
  • 14. 14 – TROMBECTOMIA MECÂNICA – CRITÉRIOS, OPÇÕES E CUIDADOS
  • 15. 15 – AVC AGUDO  O QUE TODO EMERGENCISTA DEVE SABER - PACIENTES FORA DA JANELA: COMO PROCEDER?
  • 16. 16 – CASO CLÍNICO
  • 17. 17 – CASO CLÍNICO
  • 1. 01 – MARCOS DE COMPETÊNCIAS E ATIVIDADES PROFISSIONAIS E CONFIÁVEIS (EPAS) NA FORMAÇÃO DO MÉDICO EMERGENCISTA (DA GRADUAÇÃO À RE-CERTIFICAÇÃO)
  • 2. 02 – AVALIAÇÃO DA INSERÇÃO CURRICULAR DAS RECOMENDAÇÕES ABEM DO ENSINO DE EMERGÊNCIA NA GRADUAÇÃO (VISÃO DISCENTE)
  • 3. 03 – DISCUSSÃO
  • 4. 04 – SITUAÇÕES CLÍNICAS DE ALTA MORBI-MORTALIDADE QUE COSTUMEIRAMENTE PASSAM DESAPERCEBIDAS NO PRONTO SOCORRO
  • 5. 05 – MODULAÇÃO TERAPEUTICA DA TEMPERATURA APOS PCR?
  • 6. 06 – ADRENALINA: DEVEMOS CONTINUAR USANDO EM PARADA CARDIACA?
  • 7. 07 – DISCUSSÃO
  • 8. 08 – VALORIZAÇÃO DO EMERGÊNCISTA E O IMPACTO NO SISTEMA DE SAÚDE
  • 9. 09 – QUE EMERGENCISTAS QUEREMOS FORMAR?
  • 10. 10 – PESQUISA NO DEPARTEMENTO DE EMERGÊNCIA: ESTADO DA ARTE - QUAL CAMINHO A SEGUIR?
  • 11. 11 – BURNOUT - QUANDO O TRABALHO ADOECE
  • 12. 12 – EDUCAÇÃO INTERPROFISSIONAL NA EMERGÊNCIA É POSSÍVEL
  • 13. 13 – ESTRATÉGIAS EDUCACIONAIS NO APH
  • 14. 14 – GESTÃO ASSISTENCIAL E DE RECURSOS HUMANOS NA REDE DE EMERGÊNCIA
  • 15. 15 – DISCUSSÃO
  • 1. 01 – COMO CONSTRUIR UMA EMERGÊNCIA REFERÊNCIA EM TRAUMA?
  • 2. 02 – APLICAÇÕES POINT OF CARE NO TRAUMA: INDO ALÉM DO FAST
  • 3. 03 – PROCEDIMENTOS NO TRAUMA COMO TORNAR-SE UM MESTRE
  • 4. 04 – RESSUSCITAÇÃO NO TRAUMA: ACLS PODE SER USADO
  • 5. 05 - DISCUSSÃO
  • 6. 06 – RESSUSCITAÇÃO HEMOSTÁTICA NA EMERGÊNCIA
  • 7. 07 – QUANDO ACIONAR O PROTOCOLO DE TRANSFUSÃO MACIÇA
  • 8. 08 – USO DA TROMBOELASTOMETRIA NO TRAUMA NO SALA DE EMERGÊNCIA
  • 9. 09 – DISCUSSÃO
  • 10. 10 – INFECÇÕES COMPLICADAS DE PELE E PARTES MOLES (ICPPM): ACERTAR NA PRIMEIRA ABORDAGEM
  • 11. 11 – DE ONDE VEM ESSE CHOQUE? COMO MANEJAR O CHOQUE SEM SANGRAMENTO EXTERIORIZADO NO TRAUMA
  • 12. 12 – HEMOSTATIC RESSUSCITATION
  • 13. 13 – DANDO ALTA COM SEGURANÇA AO PACIENTE ESTÁVEL VÍTIMA DE TRAUMA DE MECANISMO PERIGOSO
  • 14. 14 – MANEJO DA DOR NO POLITRAUMATIZADO
  • 15. 15 – LESÕES DE NERVOS PERIFÉRICOS DIAGNÓSTICO E MANEJO
  • 16. 16 – DOR LOMBAR NA EMERGÊNCIA – EVIDENCIAS EM DIAGNÓSTICO
  • 17. 17 – MANEJO DA VIA AÉREA NO PACIENTE SÉPTICO
  • 18. 18 – A PRÉ-OXIGENAÇÃO DIFÍCIL NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
  • 19. 19 – A DECISÃO DA VIA AÉREA CIRÚRGICA NO DE
  • 1. 01 – TROMBÓLISE NO IDOSO DEVE SER REALIZADA?
  • 2. 02 – AVCI COM TRANSFORMAÇÃO HEMORRÁGICA: E AGORA?
  • 3. 03 – RELATO DE CONVULSÃO DUVIDOSA E DÉFICIT PERSISTENTE EM JOVEM ADULTO: DEVO TROMBOLISAR?
  • 4. 04 – SUSPEITA DE HEMORRAGIA SUBARACNOIDE COM TC DE CRÂNIO NORMAL
  • 5. 05 – CATÁSTROFES INTRACRANIANAS: O QUE FAZER PRIMEIRO?
  • 6. 06 – TCC NO AVCI AGUDO - 05 SINAIS QUE TODO EMERGÊNTISTA DEVE SABER
  • 7. 07 – PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS
  • 8. 08 – INDICAÇÃO DE HEMODIÁLISE PRECOCE OU TARDIA?
  • 9. 09 – COMO EU FAÇO: COMA POR MÚLTIPLAS DROGAS
  • 10. 10 – E O SÓDIO? QUANDO E COMO CONSERTAR NA EMERGÊNCIA
  • 11. 11 – ACIDOSE METABÓLICA GRAVE: COMO CONDUZIR DIAGNÓSTICO ETIOLÓGICO E CONDUTA NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA?
  • 12. 12 – MEU PACIENTE É CANDIDATO A CUIDADOS PALIATIVOS?
  • 13. 13 – PLANEJAMENTO TERAPÊUTICO E FIM DE VIDA NO DE
  • 1. 01 – DOR TORÁCICA NA EMERGÊNCIA
  • 2. 02 – DISPNEIA NO EMERGÊNCIA - CENÁRIOS
  • 3. 03 – DISCUSSÃO
  • 4. 04 – SHOW DE ECG’S
  • 5. 05 – ULTRASSOM NO MANEJO DAS PETOLOGIAS CÁRDIO PULMONARES
  • 6. 06 – DÉFICIT NEUROLÓGICO AGUDO NA SALA DE EMERGÊNCIA - AVC
  • 7. 07 – CEFALEIA NA SALA DE EMERGÊNCIA
  • 8. 08 – EXAME NEUROLÓGICO - EMERGÊNCIA
  • 9. 09 – ERROS COMUNS NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
  • 10. 10 – ATENDIMENTO AO PACIENTE VÍTIMA DE TRAUMA TORÁCICO PENETRANTE
  • 11. 11 – TRAUMA ABDOMINAL
  • 12. 12 – ULTRASSOM NO MANEJO DO TRAUMA
  • 13. 13 – PROCEDIMENTO CIRÚRGICO PARA O MÉDICO EMERGENCISTA
  • 14. 14 – ABORDAGEM DO PACIENTE COM DOR ABDOMINAL
  • 15. 15 – O IDOSO PROSTRADO NO PS
  • 16. 16 – INTERPRETANDO A GASOMETRIA NO DE
  • 17. 17 – MÉTODOS DE AVALIAÇÃO HEMODINÂMICA NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
  • 1. 01 – CRISE HIPERTENSIVAS: MITOS E VERDADES
  • 2. 02 – IC: QUANDO INTERNAR E QUANDO DAR ALTA DIRETO DO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
  • 3. 03 –MANEJO DO PACIENTE HEPATOPATA NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
  • 4. 04 – DPOC NA EMERGÊNCIA – MITOS E VERDADES
  • 5. 05 – DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL E SUAS INTERCORRÊNCIAS
  • 6. 06 – AVALIANDO O RISCO DE SUICÍDIO NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
  • 7. 07 – SURTO PSICÓTICO
  • 8. 08 – CONTENÇÃO QUÍMICA E SEUS SEGREDOS
  • 9. 09 – LESÕES DE PELE QUE TODO EMERGENCISTA DEVE IDENTIFICAR E TRATAR
  • 10. 10 – LESÕES OCULARES QUE TODO EMERGENCISTA PRECISA SABER
  • 11. 11 – ASSISTÊNCIA MÉDICA NO POTENCIAL DOADOR
  • 12. 12 – ATUALIZAÇÕES EM LEGISLAÇÃO E TRANSPLANTE
  • 13. 13 – TRANSPLANTADO NA EMERGÊNCIA
  • 1. 01 – INFLUENZA – REALIDADE NO BRASIL
  • 2. 02 – USOS NÃO-CONVENCIONAIS DA LIDOCAÍNA
  • 3. 03 – ESTRATÉGIAS PARA LIDAR COM A SUPERLOTAÇÃO
  • 4. 04 – HIPERGLICEMIA: QUANDO TRATAR E COMO MANEJAR
  • 5. 05 – AVALIAÇÃO POCUS DA CÓLICA RENAL
  • 6. 06 – FA DE ALTA RESPOSTA: POSSO RESOLVER NO DEPARTAMENTO DE EMERGÊNCIA
  • 7. 07 – ECGS QUE TODO EMERGENCISTA DEVE CONHECER
  • 8. 08 – DISCUSSÃO
  • 1. 01 – EPISTAXE
  • 2. 02 – HEMORRAGIA DIGESTIVA ALTA: MITOS E VERDADES
  • 3. 03 – NOVOS ANTICOAGULANTES E SANGRAMENTO: COMO REVERTER?
  • 4. 04 – DISCUSSÃO
  • 5. 05 – VNI (NIV) NO PACIENTE AGITADO – COMO EU FAÇO?
  • 6. 06 – TORACOTOMIA E PERICARDIOCENTE NO TRAUMA TORÁXICO
  • 7. 07 – VIA AÉREA DIFICÍL NA RESSUCITAÇÃO DA CARDIO PULMONAR
  • 1. 01 – INTUBANDO UM PACIENTE NA EMERGÊNCIA
  • 2. 02 – VIA AÉREA DIFÍCIL
  • 3. 03 – DISPOSITIVOS DE VIA AÉREA
  • 4. 04 – DISCUSSÃO
  • 5. 05 – MINDSET DO EMERGÊNCISTA
  • 1. 01 – DENGUE
  • 2. 02 – ARBOVIROSES - FEBRE AMARELA
  • 3. 03 – DISCUSSÃO
  • 4. 04 – USO DE JUDICIOSO DE OPIOIDES NO DE
  • 5. 05 – ANALGESIA – OPÇÕES PARA PACIENTES ALÉRGICOS
  • 6. 06 – BLOQUEIOS PERIFÉRICOS NO TRAUMA E EMERGÊNCIA
  • 7. 07 – DISCUSSÃO
  • 8. 08 – ACIDENTES DE CONSUMO: UMA EPIDEMIA GLOBAL
  • 1. 01 – QUALIDADE E SEGURANÇA DO PACIENTE NAS EMERGÊNCIAS, A IMPORTÂNCIA DOS PROTOCOLOS GERENCIADOS
  • 2. 02 – EXPERIÊNCIA DO PACIENTE NA EMERGÊNCIA – MÉTODOS DE AVALIAÇÃO
  • 3. 03 – PROJETO LEAN NAS EMERGÊNCIAS
  • 4. 04 – SUSTENTABILIDADE NA EMERGÊNCIA
  • 5. 05 – EMERGÊNCIA – NOVAS ESTRATÉGIAS PARA ENFRENTAMENTO DA SUPERLOTAÇÃO
  • 6. 06 – NOVAS ESTRATÉGIAS PARA ENFRENTAMENTO DA SUPERLOTAÇÃO
  • 7. 07 – COMO ENFRENTAR A SUPERLOTAÇÃO NA EMERGÊNCIA?
  • 8. 08 – NOVAS ESTRATÉGIAS PARA ENFRENTAMENTO DA SUPERLOTAÇÃO CONTIGÊNCIA
Voltar ao topo